Como funciona a redação da Vunesp

A Vunesp é responsável por um dos maiores vestibulares do estado de São Paulo e por vários concursos públicos. A banca exige a realização de uma prova de redação com grande peso para aprovação dos candidatos, portanto devemos conhecer como a redação deve ser produzida.

Conteúdo produzido por Corrija-me - Correção de Redação Em Bancas e suas redações

A Vunesp foi criada em 1979 pelo Conselho da UNESP e é a responsável pela organização de seus vestibulares desde então. Por ser uma entidade sem fins lucrativos, também atua na realização da maioria dos processos seletivos do estado de São Paulo (e em algumas outras regiões do país) com aplicação também de uma prova de redação na avaliação dos candidatos. Por isso, vamos entender nesse post como funciona a redação da Vunesp.

A banca tem fama de ser uma banca mais acessível em comparação com outras instituições mais renomadas, como FGV ou FCC. Contudo, vem evoluindo em conteúdo e grau de exigência nos últimos anos.

Vamos conhecer um pouco mais sobre como a banca trabalha com as redações.

Características da prova de redação:

  • A banca vem pedindo o gênero dissertativo de redação para a maioria dos processos seletivos;
  • Os temas de redação são concretos e baseados em assuntos mais palpáveis, como no caso de 2018, em que polemizou o porte de armas. A exemplo desse ano, o candidato podia contar com dados concretos para a sua argumentação, como estatísticas e pesquisas;
  • Os temas são recortes da conjuntura atual (baseiam-se nas discussões da atualidade);
  • Não é necessária uma intervenção, diferentemente do Enem, que exige uma intervenção para o problema proposto. A Vunesp pede apenas uma conclusão simples, que retome sua introdução;
  • Cada redação é avaliada por dois examinadores independentes. Quando há discrepância na atribuição das notas, o texto é reavaliado por um terceiro examinador independente. Quando a discrepância permanece, a prova é avaliada pelos coordenadores da banca;
  • O espaço para rascunho no caderno de questões é de preenchimento facultativo. Em hipótese alguma, o rascunho elaborado pelo candidato será considerado na correção da prova de redação pela Banca Examinadora;
  • Em hipótese alguma o título da redação será considerado na avaliação do texto;
  • Textos curtos, com apenas 15 (quinze) linhas ou menos, serão penalizados no critério que avalia a expressão;
  • As propostas de redação apresentam uma coletânea de textos motivadores que servem como ponto de partida para a reflexão sobre o tema que deverá ser abordado. Textos compostos apenas por cópias desses textos motivadores receberão nota total zero e textos em que seja identificada a predominância de trechos de cópia em relação a trechos autorais terão a nota final diminuída drasticamente;
  • A nota da redação geralmente é um dos critérios de desempate;
  • A prova de redação Vunesp/Unesp será realizada na segunda fase do processo seletivo e terá nota que varia de 0 a 28 pontos.

Observação: Como a cada novo edital a banca tem o poder de alterar qualquer informação, é sempre recomendado ler o edital do atual processo seletivo a que você irá se submeter.

Aula ao Vivo de Redação - Participe do Grupo
Últimos temas de redação da banca Vunesp aplicados no vestibular da Unesp:

  1. 2017 – A riqueza de poucos beneficia a sociedade inteira?
  2. 2018 – O porte de armas deve ser legalizado?
  3. 2018 – O voto deveria ser facultativo?
  4. 2019 – Compro, logo existo.
  5. 2020 – Carros: os novos cigarros?

Critérios de correção da redação Vunesp:

  • Critério A – Adequação ao gênero e tema;
    Tema: considera-se se o texto do candidato atende ao tema proposto.
  • Critério B – Argumentação e coerência;
    Estrutura (gênero/tipo de texto e coerência): consideram-se aqui, conjuntamente, os aspectos referentes ao gênero/tipo de texto proposto e à coerência das ideias.
  • Critério C – Aspectos gramaticais e linguísticos.
    Expressão (coesão e modalidade): consideram-se neste item os aspectos referentes à coesão textual e ao domínio da norma-padrão da língua portuguesa.

Será atribuída nota zero à redação que:

  1. Fugir ao tema e/ou gênero propostos;
  2. Apresentar nome, rubrica, assinatura, sinal, iniciais ou marcas que permitam a identificação do candidato;
  3. Estiver em branco;
  4. Apresentar textos sob forma não articulada verbalmente (apenas com desenhos, números e/ou palavras soltas);
  5. For escrita em outra língua que não a portuguesa;
  6. Letra ilegível e/ou incompreensível;
  7. Texto definitivo estiver fora do espaço reservado para tal;
  8. Escrever 7 (sete) linhas ou menos (sem contar o título);
  9. A redação for composta integralmente por cópia de trechos da coletânea ou de quaisquer outras partes da prova ou composta predominantemente por trechos de textos divulgados nas mídias impressas e/ou digitais;
  10. Apresentar formas propositais de anulação, como impropérios, trechos jocosos ou a recusa explícita em cumprir o tema proposto.

Modelo de redação Vunesp:

Para fechar, vamos observar uma redação modelo Vunesp:

Tema: O voto deveria ser facultativo?

Introdução da redação:

O voto como instrumento democrático pela escolha de um representante é algo recente no Brasil, datando de 1985, com o fim da ditadura e a pressão popular do movimento “Diretas Já”. Desde então, a legislação em vigor toma o voto não só como um direito, mas também como um dever do cidadão. Porém, mantê-lo como obrigatório é algo que segue um rumo contrário à liberdade vigente em qualquer democracia, levantando o questionamento sobre a necessidade de mudanças.

Desenvolvimento da redação:

Em primeira análise, verifica-se que a facultatividade do voto seguiria o natural percurso democrático de qualquer nação defensora dos direitos de sua população. Afinal, é garantido pela própria Constituição o direito de escolha individual, desde que essa decisão não interfira na retirada de direitos de outros. Ademais, como defende o professor Carlos Pereira, cientista político atuante na FGV, o Brasil, após um histórico significativo de eleições bem sucedidas, teria a consciência política já consolidada, sendo a adoção do voto facultativo um processo natural de conquistas, que daria mais autonomia ao eleitor.

Em segundo ponto, deixar a alternativa do voto a cargo do cidadão garantiria uma escolha mais madura. Embora muitos argumentem que isso não legitimaria o papel democrático das eleições, o que se averigua é exatamente o oposto, visto que aqueles que estivessem ou se sentissem despreparados não participariam das eleições, possibilitando que um representante mais ponderado e competente assumisse um cargo de importância.

Por fim, outro aspecto relevante é a constatação de que a maioria da população brasileira se sente desconfortável com a obrigatoriedade. Percebe-se que muitos possuem problemas de locomoção e residem distantes dos colégios eleitorais, além de verificarem que não há, segundo suas percepções, candidatos realmente preparados ou, movidos pela própria descrença no processo eleitoral, não desejam ir às urnas. Prova disso é visível na pesquisa realizada pela Datafolha em 2014 em que 61% dos entrevistados dizem ser a favor da adoção do voto facultativo.

Conclusão da redação:

Visto isso, reforça-se a ideia de que a facultatividade seria uma grande evolução quanto ao processo eleitoral e a melhor alternativa, enfatizando a necessidade de mudanças que demarcariam as reais conquistas democráticas no atual cenário brasileiro.

A redação é de grande importância em todos os processos seletivos, por isso é temida entre os candidatos, mas fique tranquilo, uma boa preparação regrada com a prática semanal de escrita vai garantir seu bom desempenho na prova. Aqui na plataforma de redação Corrija-me nós temos cursos de redação para banca Vunesp e também correções seguindo o modelo oficial da banca. Crie seu cadastro grátis, sem compromisso e veja como trabalhamos para ajudá-lo.

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário foi feito, seja o primeiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *